quarta-feira, janeiro 31, 2007

a putinha francesa e o lorde inglês

são duas as coisas que quero escrever neste começo de noite nada peculiar mas única pelo fato de eu estar sentado na frente do computador, usando um programa que nunca usei para escrever meus textos, tentando desenvolver uma idéia fraca, como não a tinha faz já algumas semanas. o texto sai fluido e me dou conta de que as duas coisas que me trazem a este escritório úmido e pálido, contrariando a minha fome, são na verdade dois desdobramentos de um mesmo causo. hoje, pela segunda vez nesta semana, eu liguei a televisão, pus um filme para rodar no aparelho de dvd e fiquei exposto a proporções precisamente equilibradas de claridade e escuridão, vermelho e verde, azul e amarelo. e não só isso, as cores e as texturas em que elas apareciam estavam milimetricamente bem distribuídas por dois roteiros fascinantes, cheios de artimanhas inteligentes e dolorosas. é raro eu viver tanta alegria em tão pouco tempo. ainda mais quando ela vem me cumprimentar exatamente no dia em que sou incumbida com a tarefa de ilustrar o extremo oposto; o tédio e a ausência de cor. você acha que desenhar um pacote de gummibärchen para ilustrar a palavra "cinza" é ok?

2 comentários:

Rafael disse...

O mundo é do Google. Este blog é do Google. Hoje, pus um filme para rodar no aparelho de dvd e fiquei exposto a proporções precisamente equilibradas de claridade e escuridão. Assistia ao cinza. Difícil, não?

plmplmplm disse...

é segredo o título do filme que proporciona tanta alegria assim pra uma menina tão exigente assim?